quinta-feira, 15 de agosto de 2019

thumbnail

ESCRITORAS E FOTÓGRAFOS LANÇAM PROFUNDANÇAS 3

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


Jovina Souza é destaque na Poesia Negra
A poetisa, professora e escritora baiana Jovina Souza é uma das poetisas que integram o Projeto “Profundanças 3”, ela que tem três livros publicados, como também participação em várias coletâneas, entre elas, a conhecida publicação “Cadernos Negros” números 37, 39 e 41, do Grupo Quilombhoje/SP e a coletânea internacional “Com amor & luta” da Ed. Òmnira/BA. Tem participado ainda, como convidada, em feiras literárias, ministrando palestras, bate papo com leitores e em outros eventos de Literatura. Define-se como uma escritora negra, que usa a palavra como mais uma estratégia de combate ao racismo e em defesa das minorias.

A obra literária “Profundanças 3”, é antologia literária e fotográfica que reúne, em sua maioria, autoras inéditas, como também aquelas que já publicaram livro autoral. Essa antologia integra um amplo projeto de difusão literária e se soma aos volumes 1 e 2, já lançados (respectivamente) em 2014 e 2017. A intencionalidade do projeto é combater a concentração editorial, fator que tem alimentado a invisibilidade e o silenciamento de mulheres escritoras.
A publicação tem organização de Daniela Galdino – o Lançamento virtual será, no dia 23.08 (sexta-feira)http://vooaudiovisual.com.br/projects/profundancas3/. Além de Jovina Souza participam da mostra as escritoras: A Luz Bárbara, Bárbara Uila, Cynthia C S Barra, Daniela Galdino, Ezter Liu, Francisca Araújo, Gessyka Santos, Isabelly Moreira, Joana Velozo, Marina Melo, MonaRios, Mônica Menezes, NegrAnória d'Oxum, Odailta Alves, Odília Nunes, Paula Santana, Raiça Bonfim, Tatiana Dias Gomes, Tereza Sá, Vânia Melo, Yasmin Morais. E os fotógrafos: Andreza Mona, Ângelo Azuos, Álvaro Severo, Analu Nogueira, Brenda Matos, Diego Mallo, Eline Luz, Fafá Araújo, Laís Aranha, Luísa Medeiros, Maria Ruana, Mariana Souto, Mylena Sousa, Nathália Miranda, Nathália Tenório, Renata Pires, Sarah Fernandes, Silvia Leme, Tacila Mendes, Tom Correia, Uiara Moura, Yalli Borges.
O livro é resultado de uma ação colaborativa e sem fins lucrativos, portanto, ficará disponível para download gratuito por tempo indeterminado.
Fonte: ASCOM/Revista Òmnira
Texto: Roberto Leal
Foto: Divulgação
Mais informações »

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

thumbnail

JOVEM GUINEENSE DOENTE CRITICA SAÚDE PÚBLICA DO SEU PAÍS

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


Momento de oração
Esse é o jovem guineense Suleimane Djaló, 25 anos, ele está pedindo a ajuda de todos, de bom coração e de boa vontade pra que possam apoia-lo, roga pelo amor a Deus! Ele precisa de uma cirurgia na perna direita, que está fazendo 8 (oito) anos de tratamento de cura de uma grande ferida, atualmente está um pouco melhor, mas o estado ainda não inspira satisfação.

Porque está o impossibilitando de andar normalmente. Ele precisa de um tratamento eficiente para a realização de um processo de cura eficaz, mas não tem condições financeiras para tal. Fez um pedido para ser atendido por uma “Junta Médica” com urgência, mas desde o ano passado, nada de novo acontece, ele tem todos os papeis e documentos, mas infelizmente não consegue marcar uma consulta e tudo acaba dando no mesmo.

Jovem tem perna em estado critico
Um amigo dele chamado Alexandro Sana Djaló fez uma publicação no Facebook pra ajuda-lo, publicou sua foto e a da ministra de saúde publica da Guiné Bissau, quando a ministra ficou muito agradecida naquela ocasião, pela publicação, "mas aquela publicação não corresponde a verdadeira situação", disse Suleimane. Ele pede através de publicação no facebook, para desmentir, pois ele nunca recebeu nenhum apoio da ministra, ele está onde está e não saiu de lá, para ir a lugar nenhum, ele se encontra na terra natal dele “Gabú”  ao leste da Guiné Bissau, capital com população de cerca de 41.612 habitantes. Ele diz que esteve na Capital do país: Bissau, mas que não conseguiu uma audiência com a ministra. 

Suleimane Djaló reclama direitos
Através de publicações nas redes socais ele tenta chamar atenção da ministra da saúde pública do país, para que se sensibilize com sua situação.  Diante das sérias complicações que um jovem pode ter com o seu estado de saúde agravado por falta de assistência médica adequada a sua manutenção vital.
Suleimane Djaló:
(00245) 95-563-02-19
(00245) 96-672-79-00

Fonte: ASCOM/Revista Òmnira
Fotos: Divulgação
Mais informações »

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

thumbnail

A UBESC É ESCRITORES BAIANOS EM FESTA LITERÁRIA NO PELOU

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


Roberto Leal acredita com otimismo no poder do livro


A UBESC - União Baiana de Escritores estará presente a 3ª Edição da FLIPELÔ - Feira Literária Internacional do Pelourinho, com sua programação à porta de entrada do circuito e com a “Cantina da Lua” (Largo do Terreiro de Jesus – Centro, Salvador/BAHIA-Brasil) capitaneada pelo grande ativista cultural Clarindo Silva, dar as boas vindas ao público, de 7 a 11 de agosto, das 10:00 às 20:00 horas. A UBESC realizará um lançamento diário de uma obra literária, sempre às 18:30; além de bate papo com escritores da cena literária nacional e convidados; exposição de livros & revistas de autores baianos e escritores africanos; sessão de autógrafos; recital de poesias e leitura de textos;  palestras, rodas de conversas, intercâmbio de projetos e publicações.

Destaque para a participação da Academia de Artes e Letras de Lauro de Freitas no dia 8, com atividades ligadas a poesia, ao livro e a Literatura. Com a presença de escritores como Audelina Macieira (Pobre Mulher Feminina Nordestina), Carlos Yeshua (Dicionario de Escritores Baianos), Josue Ramiro Ramalho (Voo Livre Verso & Prosa), Jovina Souza (O amor não está), Manuel Porto Lima (Filhos de Mãe Solteira), Roberto Leal (Letras Pretas Cruas & Nuas) e Valdeck Almeida de Jesus (Memórias do Inferno Brasileiro).

O livro será o verdadeiro anfitrião dessa festa literária
A UBESC vai expor nas suas bancas livros de autores baianos a partir de R$ 10, uma forma de incentivar a leitura e aumentar o poder de consumo literário dos visitantes.  Homenageará o saudoso escritor, jornalista, professor e filosofo Germano Machado, com uma exposição de suas principais obras literárias de cunho filosófico. “O livro será o destaque dessa nossa participação na Flipelô, ele será o real anfitrião dessa nossa festa”. Disse Roberto Leal, vice-presidente da UBESC.

Fonte: ASCOM/Revista Òmnira
Foto: Roberto Leal









Mais informações »

sábado, 27 de julho de 2019

thumbnail

O CURTA-METRAGEM ANGOLANO ‘KARMA’ PEDE PASSAGEM

Postado Por Roberto Leal  | 1 Comentario

Atores Brezena da Costa e Blandine Klander escrevendo novo capitulo do cinema angolano

No curta-metragem Karma: Sara, é esposa de Edgar e está acometida de uma doença terminal, e somente uma cirurgia urgente pode salvar a vida dela. Sem dinheiro suficiente para pagar a cirurgia, Edgar encontra-se em um paradoxo que coloca a sua moral em jogo em troca da quantia necessária para salvar a sua esposa. Esse drama tem duração de 20 minutos, foi escrito por João Ginga Miranda e tem produção executiva do escritor e ator Blandine Klander. Edgar é um jovem honesto e batalhador, recém-casado com Sara com quem compartilha um relacionamento desde quando ainda eram pequenos. Por circunstâncias da vida, Sara adoece de uma doença terminal “Cardiopatia Isquêmica”, que para o seu tratamento carece de especialistas no país.

Daí surge a necessidade do hospital entrar em contato com um especialista estrangeiro, este que quando confrontado com a situação de Sara disponibiliza-se a trata-la com urgência. Consequentemente o seu deslocamento e a cirurgia aumentam os custos do tratamento que o plano de saúde de Edgar e Sara não cobre, condição que deixa Edgar em uma situação complicada, obrigando-o a buscar meios de conseguir a quantia necessária a qualquer custo.

Ai é onde surge o Leo, com quem Edgar compartilha um elo de irmandade por terem crescido e vivido juntos na Comunidade. Leo por ver Edgar muito triste por já ter feito todas as tentativas para conseguir o dinheiro suficiente, não vê outra forma se não sugerir uma ação de assalto a uma loja, o que inicialmente Edgar nega, mas por ver a situação piorar a cada instante, Edgar vê-se obrigado a aceitar a proposta de Leo.

Já com o médico estrangeiro no país, com domínio do estado clínico de Sara, o mesmo recusa-se a ser levado ao hotel, pedindo que seja levado de imediato para o hospital, mas que ao longo do caminho o motorista parasse em uma loja para que ele comprasse algo para beber. Consequentemente a mesma loja onde Edgar e Leo pretendem assaltar. Com o médico dentro da loja. Edgar e Leo surpreendem o vendedor e o médico com uma arma de fogo anunciando o assalto e recolhem todo o dinheiro da caixa e n’um ato de nervosismo acabam por atirar mortalmente no vendedor cometendo um latrocínio.

Elenco: Edgar/ Blandine Klander. Leo/Arsénio Gaspar. Sara/Brezana da Costa. Carlos/Lito Ferreira. Pedro/Dorivaldo Cortez. Sandro/Mário da Leybo. Vendedor/Roberto Fernandes. A expectativa de diretores e atores é de inscrever o filme em festivais internacionais e poder participar de maneira a divulgar o que de forma independente se vem fazendo acontecer no cinema contemporâneo que busca espeço na cena em Angola.

Foto: Divulgação


Mais informações »

thumbnail

PRÊMIO IMPRENSA NACIONAL DE LITERATURA IN ANGOLA

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios

Imprensa Nacional lança seu Prêmio de Literatura 2019

As inscrições estão abertas para o “Prêmio Imprensa Nacional de Literatura”, que devem ser apresentadas até o próximo dia 9 de Agosto (sexta-feira) para livros inéditos, de autoria de nacionais/angolanos e para estrangeiros residentes em Angola, há mais de 3(três) anos.
Valdir da Silva de Sousa - assessor de comunicação, imagem e captação de negócios institucionais da Imprensa Nacional, disse que o prêmio surge com o objetivo de estimular a escrita, incentivar a criação literária e os hábitos pela leitura. Em entrevista ao Jornal de Angola, disse que o intuito é descobrir novos autores, motivo pelo qual podem candidatar-se pessoas de qualquer idade. “Queremos contribuir para que apareçam futuros Pepetela, Manuel Rui e Ondjaki que não tenham a possibilidade de editar a sua criação”, pontuou.
Segundo o regulamento, as inscrições devem ser feitas em dois formatos, nomeadamente o físico e o digital. O suporte físico é entregue em duas cópias na sede da Imprensa Nacional, na Cidade Alta, já o digital num disco amovível (pendrive ou CD) ou por via do correio electrónico. (premio.literario@imprensanacional.gov.ao).
Foi justificado que as candidaturas por e-mail servem para facilitar os interessados que estejam a residir distante da província de Luanda. As propostas de livro submetidas ao prêmio são apresentadas publicamente, no dia 13 de Agosto, numa conferência de imprensa, para posterior apreciação interna do júri por um período que deve durar um mês. O júri é composto por membro na União dos Escritores Angolanos (UEA), professor universitário e editor, sendo que estes têm o direito de não escolher nenhuma das propostas apresentadas e sem recurso. E frisou que os trabalhos vão ser avaliados de acordo com a originalidade, como contribuição para a cultura nacional e respeito pelas características canônicas do gênero literário para as quais concorrem
O autor da proposta vencedora ao Prêmio Imprensa Nacional de Literatura recebe a quantia de um milhão de kwanzas e a publicação do respectivo trabalho premiado, depois de divulgada a decisão do júri no dia 13 de Setembro (sexta-feira), nos órgãos de Comunicação Social. Além da edição, cuja primeira fase terá uma tiragem de mil exemplares, a Imprensa Nacional fará comercialização do livro em todo o mundo, além da revisão literária, para a qual devem ser eliminados todos os erros ortográficos ou gramaticais e resolvidas as inconsistências com as normas de estilo adotadas para a publicação do concurso. Além da premiação principal, poderão ser atribuídas uma ou mais menções honrosas, que devem igualmente dar origem à publicação dos mesmos.
Os candidatos devem consultar o regulamento do prêmio disponíveis no site da Imprensa Nacional http://www.imprensanacional.gov.ao/index.php?id=150, uma forma de dirimir futuras duvidas. O Prêmio Imprensa Nacional de Literatura visa valorizar o talento nacional e promover a divulgação de obras de autores contemporâneos no mercado literário angolano.
 Foto: Divulgação
Mais informações »

sexta-feira, 26 de julho de 2019

thumbnail

NO ‘DIA DO ESCRITOR’ TEVE LITERATURA NO METRÔ DE SALVADOR

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


O autor fazendo leitura de poesias
Primeiro lançamento de livro da história do Metrô de Salvador, em um espaço novo para leitura, descontração, uso das redes sociais para pesquisa e consulta de publicações do acervo, Espaço Bibliometrô, na Estação do Metrô Acesso Norte, lançamento relâmpago um objetivo da UBESC - União Baiana de Escritores e a CCR Metrô Bahia em homenagem ao Dia do Escritor. Presentes em visita ao Espaço na noite de autógrafos, o escritor e poeta João Vanderlei De Moraes, o jornalista Carlos Yeshua, o poeta Luís Carlos, escritor Manoel Porto Lima, Jornalista Felipe Maia, a irmã Gil do Coletivo das Bibliotecas Comunitárias, além de público usuário da estação e convidados.

Obras em destaque no Espaço Bibliometrô
A obra lançada foi "Letras Pretas Cruas & Nuas" - Poesias com Luta e Contos de Amor (Ed. Òmnira/BA-Brasil - 100 páginas R$ 25) do jornalista, escritor e editor Roberto Leal (um dos fundadores da UBESC-União Baiana de Escritores), obra literária ambientada na África, mais precisamente em Angola e Cabo Verde, traçando uma trajetória de luta dentro de uma poesia às vezes revolucionária e outras vezes patriótica e amável saudando a Mãe África. E não foi possível deixar de fora também os contos de amor vividos com a mulher africana, de caráter forte e de enredo afável e amada de várias formas e despida de todos os preconceitos, dentro de uma linguagem vivida nos prazeres do Amor. O livro tem apresentação dupla, do professor Germano Machado (in memoriam) e do jornalista e escritor Valdeck Almeida de Jesus, orelhas do poeta angolano Ismael Farinha e capa do artista plástico cabo-verdiano Moustafa Assem. Essa obra literária é dedicada à poetisa e ativista cultural angolana Jovita Kifinamene Leal, representando assim todas as mulheres negras e africanas do universo.

E a revista de Literatura Òmnira, Edição Especial  em homenagem ao saudoso professor Germano Machado, com textos e poesias de Alberto Peixoto (Feira de Santana/BA), Amanda Nascimento Pereira (Santa Catarina), António Sanches (Portugal), Audelina Macieira, Carlos Yeshua, Conceição Ferreira, Darcy Brito, Eliseu Moreira Paranaguá, Emérita Andrade Ramos, Gabriel Maia (Belém), Iolanda Soares (Rodelas/BA), Irá Rodrigues (Santo Estevão/BA), Joaci Góes (presidente da Academia de Letras da Bahia), João Bosco Soares dos Santos, João Vanderlei de Moraes Filho, Luiz Menezes de Miranda, Moustafa Assem (Cabo Verde/África), Neuza de Brito Carneiro (Feira de Santana/BA), Roberto Leal, Valdeck Almeida de Jesus e Willian Wollinger Brenuvida (Santa Catarina). Capa do artista plástico angolano Elias Jamba Sanjelembi.

Dentro da programação tivemos leitura de Poesias do Livro "Letras Pretas Cruas & Nuas", bate papo com o autor e sessão de autógrafos.


Fotos: Divulgação


Mais informações »

quarta-feira, 5 de junho de 2019

thumbnail

JORNALISTA TEM VIAGEM ADIADA A ANGOLA POR SOFRER AMEAÇA DE MORTE

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios




Revista brasileira homenageia J. Savimbi
Jornalista (DRT/BA 3992), editor e escritor brasileiro  Roberto Leal leva ao conhecimento de amigos (as), ex-alunos naquele país do Continente africano, autoridades brasileiras e angolanas, que está sendo ameaçado de morte, caso venha a entrar em território angolano com a revista de Literatura Òmnira, que homenageia o líder da UNITA-União Nacional pela Libertação Total de Angola, que teve os seus restos mortais, enterrado dignamente no sábado próximo passado, o Dr. Jonas Malheiro Savimbi.
 Através de postagens no facebook/rede sociais, vem levar ao conhecimento de todos que depois que anunciou a edição da revista de Literatura Òmnira em homenagem ao líder negro Jonas Savimbi (presidente assassinado da UNITA há exatos 17 anos - 22/02/2002) vem sendo alvo de ameaças contra a sua vida. Vários comentários anteriores lhe vieram servir como alerta e agora, aparece especificamente um perfil em nome de "Diana Russela" - ver print      https://www.facebook.com/messages/t/diana.russela, dizendo claramente que estará sendo caçado ao desembarcar em território angolano, até mesmo no inferno. Portanto o jornalista deverá estar levando essas ameaças ao conhecimento da Policia Federal no Brasil ou a Delegacia de Crimes de Internet através de queixa que formulará com os seus advogados. Como também estará adiando as suas atividades culturais provisoriamente naquele país africano, como também a viagem que faria com a revista para lançamento em momento tão oportuno da sustentação da democracia naquele país, diante da nova politica empreendida pelo então presidente Dr. João Manuel Gonçalves Lourenço, mais conhecido carinhosamente por “DLo”.
Primeira de uma série de print's
Lembra o nobre escritor que em duas oportunidades homenageou o líder negro da luta armada em Angola, o médico e poeta Dr. António Agostinho Neto, em revistas anteriores e nunca foi importunado e até foi apoiado por membros do MPLA-Movimento pela Libertação de Angola, e que se sente triste, apesar de decidido a não calar a sua voz em favor da democracia e da Cultura que envolve os dois países irmãos Angola/Brasil e que quer contar com o apoio do deputado Isaias Samakuva presidente atual da UNITA para que possa continuar com o seu trabalho naquele país.
As mensagens de apoio e solidariedade não param de chegar ao perfil do brasileiro Roberto Leal no facebook https://www.facebook.com/robertoleal13, dentre ex-alunos dos vários cursos de Formação Básica em Criação Literária, escritores, professores, poetas e curiosos dos trabalhos entre palestras, doações de livros a crianças carentes e visitação a Escolas Secundárias, Universidades e Institutos de Ensino por toda a Angola, “Sinto-me triste por estar sendo ameaçado, mas o meu trabalho não oferece ameaça a ninguém que não seja aqueles que querem me calar de maneira a ceifar meus projetos e planos de Cultura em Angola”, disse Roberto Leal. A publicação tem capa do artista plástico cabo-verdiano Moustafa Assem e a participação de poetas e escritores angolanos como: Blandine Klander, Ismael Farinha, Fonseca Manuel Panzo, dentre outros, além de poesias, pensamentos e fotos do homenageado.


Mais informações »

sexta-feira, 31 de maio de 2019

thumbnail

NOITE DE LITERATURA GERMANIANA NO CAMPO GRANDE

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios



A UBESC – União Baiana de Escritores e a Editora Òmnira convidam para o lançamento da revista de Literatura Òmnira (32 páginas – R$ 12) em homenagem ao saudoso mestre, jornalista, professor, filosofo e escritor Germano Machado que será realizado no próximo dia 14 de junho (sexta-feira), às 18 horas, no Salão Nobre da Fundação João Fernandes da Cunha (Largo do Campo Grande – Centro in Salvador/Bahia-Brasil).

Literatura Especial
 Na publicação textos e poesias de Alberto Peixoto (Feira de Santana/BA), Amanda Nascimento Pereira (Santa Catarina), António Sanches (Portugal), Audelina Macieira, Carlos Yeshua, Conceição Ferreira, Darcy Brito, Eliseu Moreira Paranaguá, Emérita Andrade Ramos, Gabriel Maia (Belém), Iolanda Soares (Rodelas/BA), Irá Rodrigues (Santo Estevão/BA), Joaci Góes, João Bosco Soares dos Santos, João Vanderlei de Moraes Filho, Luiz Menezes de Miranda, Moustafa Assem (Cabo Verde), Neuza de Brito Carneiro (Feira de Santana/BA), Roberto Leal, Valdeck Almeida de Jesus e William Wollinger Brenuvida (Santa Catarina). Capa do artista plástico angolano Elias Jamba Sanjelembi.

Letras africanas
E diante das suas últimas aulas no Curso de filosofia, realizado aos sábados na Faculdade 2 de Julho, que versavam sobre a África teremos o lançamento do livro "Letras Pretas Cruas & Nuas" - Poesias com Luta e Contos de Amor (Ed. Òmnira/BA-Brasil - 100 páginas R$ 25) do jornalista, escritor e editor Roberto Leal (um dos discípulos do professor Germano Machado) , obra literária ambientada na África, mais precisamente em Angola e Cabo Verde, traçando uma trajetória de luta dentro de uma poesia as vezes revolucionária e outras vezes patriótica e amável saudando a Mãe África, como não foi possível deixar de fora também os contos de amor vividos com a mulher africana, de caráter forte e de enredo afável e espetacularmente amada de várias formas e modelo dentro de uma linguagem vivida nos prazeres do Amor.


O livro tem apresentação dupla do professor homenageado e do jornalista e escritor Valdeck Almeida de Jesus, orelhas do poeta angolano Ismael Farinha e capa do artista plástico cabo-verdiano Moustafa Assem. Essa obra literária é dedicada a poetisa e ativista cultural angolana Jovita Kifinamene Leal, representando assim todas as mulheres negras e africanas do universo. “Foi um prazer muito grande ter contato direto com a obra literária e filosófica desse mestre que foi o professor Germano Machado e que nos leva muito a refletir sobre o aprendizado filosófico e literário cepista brasileiro”, disse Jovita. Mais informações +55 71 98736-9778 WhatzApp.

Mais informações »

sábado, 6 de abril de 2019

thumbnail

DO LIVRO "UMA VIDA CLANDESTINA" NA DITADURA

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios



O livro "Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil", foi publicado como uma forma de levar aos leitores sobre Antônio Fernandes Mendes, uma das vítimas da ditadura militar e civil, no Ceará. Antônio Fernandes Mendes nasceu em Quixeramobim, em 1936, foi anarquista, fitoterapeuta, conhecedor das ervas medicinais, cordelista e autodidata, é o clã de Antônio Vicente Mendes Maciel (Antônio Conselheiro).
   
No livro "Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil" pode ser encontrada a biografia dele e algumas perguntas que o tenho feito, perguntas essas que ele tem respondido, sem qualquer tipo de restrição. Antônio Fernandes Mendes falou sobre a seca no Ceará, e sobre a instalação de duas bases aéreas, que convocava os jovens para o auge da guerra, livros que foram queimados e livros que foram enterrados e perdidos pela água da churra e sobre a importância de uma biblioteca e da leitura.

Antônio Fernandes Mendes viveu numa forma clandestina, ajudou diversos senhores de idade a aprender ler, fazendo uso do método Paulo Freire, método este que era proibido naquela época. Criou e fundou diversos sindicatos, de forma clandestina, visando ajudar os trabalhadores, que trabalhavam no campo. Recebeu a notícia de que a polícia estava atrás dele, fugiu para a casa de um dos irmãos, onde passou alguns dias.

Na Bahia, criou junto com a comunidade o projeto "Horta Natureza", este projeto ficou conhecido depois como ISVA (Instituto Socioambiental do Bairro de Valéria), onde também se encontrava a biblioteca do bairro (Biblioteca Comunitária do Bairro de Valéria Prof. José Oiticica) e o cineclube do bairro, onde passava diversos filmes educativos, deu palestras em lugares públicos e privados.

Tenho o costume de dizer que o livro "Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil", também foi publicado de uma forma clandestina, porque, não tive a ajuda de editores e revisores para publicá-lo, editei, criei a capa, e publiquei de forma independente, e quem sabe assim possa aparecer oportunidades de publicar novas edições, levando a diante a história de um grande mestre, que foi o Antônio Fernandes Mendes.

Mais informações »

quarta-feira, 27 de março de 2019

thumbnail

EDITORA ÒMNIRA LANÇA “O AMOR NÃO ESTÁ” DE JOVINA SOUZA

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios



Mais um livo da Ed. Òmnira
A Editora Òmnira e a UBESC – União Baiana de Escritores, com o apoio do Centro Cultural Casa de Angola/Bahia lança o livro de poesias da professora, escritora e critica literária Jovina Souza, “O amor não está” Ed. Òmnira/BA-Brasil, 84 páginas R$ 25. Dia 12 de abril (sexta-feira), as 18:30 horas, na Casa de Angola (Praça dos Veteranos, 5 – Barroquinha).

Jovina Souza em sua terceira obra literária
A obra tem apresentação da professora Dejanira Rainha e orelhas do também professor do IFPB - Dr. João Edson Rufino, a obra vem com 10 ilustrações do artista plástico cabo-verdiano Moutafa Assem, além da capa onde sempre focou retratar a procura desse Amor, que segundo Jovina Souza ele não está. São 54 poemas carregado de mistérios e envolto nas artimanhas reveladas do Amor, contados pela autora de maneira a que se percebam realmente o que é o amor na vida das pessoas e do que ele é capaz.
Jovina Souza é autora dos livros “Agdá” e “No Caminho das Estações” ambos pela Editora Mondrongo/Itabuna-BA; tem participações em antologias e coletâneas, dentre elas, a reconhecida publicação “Cadernos Negros” do Grupo Quilomhboje/SP e a coletânea poética “Com Amor & Luta” um livro da Editora Òmnira/BA-Brasil com a participação de poetas brasileiros e angolanos; além de exercer importante papel dentro da militância negra de luta contra o racismo e o extermínio do povo preto da periferia, usando a sua poesia para dar um basta nas indiferenças, nas discriminações veladas e nas facetas desse sistema corrompido pela sociedade elitista e exterminadora de minorias.
Dentro da programação teremos exposição de livros de autores negros e africanos, e uma exposição da trajetória da revista Òmnira; o SARAUBESC com microfone aberto; apresentação de Capoeira Angola, O Coral do Bairro da Paz e coquetel ao final.
Foto: Daniele Carvalho
Mais informações »

domingo, 24 de março de 2019

thumbnail

PALESTRA DO PAN AFRICANISTA KÉMI SÉBA EM SALVADOR

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


Kémi Séba queima cédula de 5.000 francos como protesto
O CEAO - Centro de Estudos Afro Orientais da UFBA-Universidade Federal da Bahia traz em abril para Salvador, o famoso ativista representante do pan-africanismo contemporâneo, Kémi Séba (Stellio Gilles Robert Capo Chichi), ativista politico franco-beninês, jornalista, escritor e presidente da ONG Urgence Panafricanistes. Considerado uma das personalidades mais influentes do Continente Africano na atualidade, seu ativismo impactante arrasta multidões por onde passa, levando aos corações dos africanos e da diáspora esperança e força para continuarem resistindo e combatendo o racismo e o neocolonialismo do século XXI.
O cientista político Stéphane François descreve a postura política de Kémi Séba como a de um " racialista integral que derrubou a pirâmide racial desenvolvida no século XIX: o povo civilizador não é mais o dos arianos, mas o negro africano". Afro - centrista radical em seus primeiros dias, Kémi Séba afirma abandonar sua visão racialista em 2008 para se juntar ao pan-africanismo . Esse novo compromisso faz dele em poucos anos uma figura midiática dessa corrente ideológica na África francófona.
Depois de queimar um projeto de lei do franco CFA em uma praça pública em Dakar/Senegal, para protestar contra a falta de soberania monetária que afeta os países que usam essa moeda, ele é expulso do Senegal onde residia em setembro de 2017 , para a França. Em outubro de 2017 , ele se muda para o Benin.
O evento está sendo organizado pelo CEAO - Centro de Estudos Afro Orientais da UFBA- Universidade Federal da Bahia.
Dias 10 e 11/04/2019
Local: Auditório CEAO ( Centro de Estudos Afro Orientais), Praça Inocêncio Galvão, 42, Largo Dois de Julho, Salvador
Dia 10
Horário : Das 15:15 as 19:00h.
Kémi Séba “Para um fim definitivo do neocolonialismo francês na África”
Dia 11: Horário : Das 16:15 as 19:00h.
Dia 12: Auditório da OAB na Praça da Piedade.
Horário: das 09:00 as 12:00h.

Foto: Divulgação
Mais informações »

thumbnail

ENCONTRO DE CRISTAIS HOMENAGEIA O CANTOR JOTA MORBECK

Postado Por Roberto Leal  | Sem Comentarios


Grande nome do Carnaval baiano
A abertura do 2º Encontro de Cristais acontece dia 05/04 (sexta-feira), às 19 horas, no Gran Hotel Stella Maris Urban Resort & Conventions (Praça Stella Maris, 200 - Stella Maris), com uma palestra com a terapeuta Andréa Nunes “Os guardiões da terra”; palestra com o pesquisador de curas naturais Tony Paixão “A importância do animal de poder para a auto cura” e tantas outras atividades, uma homenagem ao cantor e mago do trio elétrico Jota Morbeck.
O músico Jota Morbeck que teve os seus anos de ouro, quando arrastou multidões atrás do trio elétrico cantando pela primeira vez a música “Eva” versão do Grupo Rádio Taxi, quando assumiu os vocais da Banda Eva, nos carnavais dos anos 80 em Salvador, será homenageado na abertura desse evento onde o tema Mor será a “Alegria e a liberdade na cura para todos”. A Bahia perdeu, no ultimo ano do século XX, o artista Jota Morbeck, grande nome do Carnaval baiano, que faleceu em Santa Cruz de Cabrália/BA, em decorrência de traumatismo, causado por um mergulho no mar, quando bateu a cabeça em uma pedra.
Dentro da programação show com o cantor Marcos Heynna e amigos do homenageado. Ao final, um Coquetel para celebração desse encontro, que terá encerramento às 22h. Mais informações (75) 99965-2381.

Fotos: Divulgação
Mais informações »

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top