domingo, 4 de fevereiro de 2018

O BRASIL NA CORDA BAMBA DA VALA POLITICA

Publicado por Roberto Leal As domingo, 4 de fevereiro de 2018  | Sem Comentarios

O Povo quer acabar com esse abuso
Iremos resumir essa coisa de crise com a palavra “regressão”; vamos comparar que somos um caranguejo e se formos um, andamos para trás; se pensarmos por outro ângulo podemos ser comparados com as galinhas, que também ciscam para trás; ou se quisermos ainda podemos nos comparar a uma onda da maré de vazante, quando puxa para trás querendo nos carregar para o alto mar; o que é na realidade andar para trás? Se for em caráter de defesa seria recuar, ficar na retaguarda, mas, esse não é o caso do Brasil, que como muitos dizem, está descendo a ladeira, mas, está descendo a ladeira e caindo de cara no chão.
Está certo que fomos escravizados por um povo corrupto, desbravadores de oceanos e eliminadores de povos indígenas, que de herança nos deixou a didática do roubo; da desonestidade; do domínio do que não é seu e é como se fosse; da ocupação de espaços que nunca lhes pertenceram; do furto do que era produzido e que não foram eles quem produziu e da ganancia da facilidade materialista... Minha avó dizia que “o costume do cachimbo é o que deixa a boca torta” e o cantor baiano Moraes Moreira há anos atrás já cantava que: “lá vem o Brasil descendo a ladeira”, n’um presságio futurista.
Não tenha duvida que somos um dos maiores produtores de impostos do mundo e arrecadamos trilhões de reais anualmente; que temos uma das maiores economias do terceiro mundo; que isso nos leva ao topo de sermos a nona potencia mundial perante o PIB; mas, que temos a violência comunitária mais cruel da América Latina; como temos também um dos maiores domínios escravizadores de gente de todo planeta; não obstante que temos as maiores câmaras municipais de legisladores falcatruosos; e ainda o maior congresso de ladrões e vagabundos que  a história já nos presenteou; que temos os piores administradores da história desde a roubalheira coroada pelos portugueses e que nem batendo de Pau Brasil vamos fazer justiça, para vingar milhões de mortos que essa farsa já enterrou.
Como costumo afirmar, que não nascerão mais heróis como nos tempos passados, ninguém pensa em dar sua vida por sua nação mais, por seu povo, por uma causa justa, quero dizer que ninguém quer morrer mais por ninguém, mas, digo ainda que é preciso padecer alguém, Que deve se juntar a muitos que lá se foram e isso só acontecerá se houver um derramamento de sangue partidário, de sangue politico marginal, é preciso quebrar esse paradigma, é preciso que se comece a exterminar políticos corruptos como se exterminam dezenas, centenas e milhares de negros e pobres nas periferias desse nosso imenso país, é preciso perceber que “trocado não dói”, mas, é necessário perceber que para curarmos a enfermidade temos que banir o vírus, para sarar a ferida precisamos suturar o corte, e que para acabar com a corrupção politica precisamos eliminar os fazedores de fortunas ilícitas com dinheiro público, os proporcionadores da vergonha internacional de que ora somos vítima.
Não tem aqui escrevendo nenhum moralista, mas, um cidadão do povo, cidadão do bem, que também não quer morrer por ninguém, mas, que tem coragem de matar, pegar nas armas pela dignidade do seu povo, “virado no mói de quentro”; que já não aguenta mais tanto cinismo, tanta hipocrisia e tantos golpes baixos dessa classe de sanguessugas, de mal feitores, de palhaços manipuladores de marionetes, mau caráter do cenário improdutivo, larápios e estelionatários credenciados pelas suas próprias canetas e leis que nada valem, senão serem transformadas em papel de limpar bunda.
O povo nas Redes Sociais
O país anda para trás em uma longa corda bamba, equilibrando nas solas dos pés a vergonha na cara que já não existe mais... Morte a política da filosofia do rouba mais faz; morte a incompetência administrativa brasileira; morte a esse sistema perverso de fabricação e controle da miséria e da pobreza como uma forma de comércio e de lucro eficaz; pelo fim dos partidos políticos; pelo fim da desobediência constitucional e pela manutenção do respeito ao povo; morte a corrupção, se preciso for com as armas nas mãos e sujas de sangue, esse é o preço que eles devem nos pagar, para que possamos resgatar a nossa autoestima de cidadão. Isso sim seria uma autentica reforma politica, pelo fim da escravidão do eleitorado e pelo extermínio da marginalidade partidária.
Para os desavisados, defensores e divisores de rendas fraudulentas, nenhuma revolta é saborosa, mas, às vezes somos obrigados a digeri-la para que possamos distinguir o seu sabor. Se for para morrer calado, que morremos então lutando... N’um país onde cada partido fundado é mais uma nova quadrilha, o povo é quem deve estudar formas de fazer a sua Justiça (sem venda nos olhos, para não errar o alvo!). Caminhando para exterminar 1.059 parasitas estaduais, 513 estorvos federais, 81 vermes senadores e 57.941 delinquentes vereadores. Chega de voto obrigatório, devemos estar preparados para lutar por uma nova independência, uma revolução popular é uma legitima solução, nas ruas de caras pintadas, punhos cerrados e com a força da palavra, vamos derrubar milhares de pretensos tesoureiros do erário público, por um novo Brasil cidadão. Parafraseando Rui Barbosa: “Justiça que tarda não é Justiça é injustiça”, mãos a obra todos nós.

Texto: Roberto Leal
Fotos: Divulgação/Internet

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top