sexta-feira, 19 de maio de 2017

A ANVISA RECONHECE A MACONHA COMO PLANTA MEDICINAL

Publicado por Roberto Leal As sexta-feira, 19 de maio de 2017  | Sem Comentarios


A Cannabis Sativa é o nome cientifico da Maconha
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária- ANVISA incluiu a Cannabis Sativa (nome cientifico da maconha) na lista completa das Denominações Comuns Brasileira – DCB, na categoria de “planta medicinal”. A DCB é uma lista que define os nomes oficiais de princípios ativos, fármacos, plantas medicinais e outras substâncias de interesse médico no país. A medida não modifica regras relativas à maconha no país e não libera o seu uso como planta medicinal em qualquer circunstância. Apenas formalizando a Cannabis como um componente possível para futuras solicitações de registros de medicamentos ou outras regras regulamentadas que podem ser discutidas sobre seu possível uso como planta medicinal. Essa inclusão faz parte da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) Nº 156, de 5 de maio de 2017, que foi publicada no Diário Oficial da União em 8 de maio.

Em janeiro deste ano a agência já havia aprovado o registro do primeiro medicamento a base de maconha no Brasil, o Mevatyl, esse medicamento a base de tetraidocanabiol /THC, em concentração de 27 mg/ml e canabidiol, essa droga já é aprovada e comercializada em outros 28 países, dentre eles: Alemanha, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, Suécia, Suíça e Israel, onde é comercializada com o nome de Sativex. O medicamento é indicado para pacientes adultos com espasticidade de grave a moderada relacionada á esclerose múltipla que não respondam a outros medicamentos e que demonstre uma boa resposta ao tratamento do paciente.

Mas foi em 2016 que a Anvisa fez a sua primeira autorização a prescrição  e manipulação de medicamentos a base de Cannabis no Brasil. A autorização vale tanto para medicamentos registrados na Agência que contenham as substâncias quanto para produtos que contenham as substâncias a serem importadas em caráter de excepcionalidade para tratamento de pacientes brasileiros. Em 2015 a Anvisa decidiu por retirar o canabidiol da lista de substâncias de uso proscrito, o que facilitou a comercialização de medicamentos com a substância no país, o que também criou uma flexibilização da importação de medicamentos contendo a substância.

SEGUNDO INSTITUTO ALEMÃO MACONHA REJUVENESCE O CEREBRO
O Instituto de Psiquiatria Molecular da Universidade de Bonn fez experiências de estudos usando ratos idosos e afirma que lentamente a reputação da maconha evolui de uma droga desprezível para um medicamento contra muitos males. Já foi testada e reconhecida como analgésico, como já se sabe que é uma forte substância contra transtornos mentais e agora se descobre o seu efeito rejuvenescedor sobre o cérebro, segundo pesquisadores da Universidade de Bonn, que isso acontece pelo menos em ratos.

Tais afirmações foram retratadas na revista especializada “Nature Medicine”. Andreas Zimmer, diretor do Instituto de Psiquiatria Molecular se diz confiante de que tais efeitos sejam aplicáveis também a seres humanos, nos roedores mais velhos, ficou constatado uma melhora no desempenho cerebral com o uso da substancia tetraidocanabiol/THC, roedores que antes tinham dificuldade em reconhecer companheiros da mesma espécie, passaram a se misturar com os roedores cobaias mais jovens, deixando para traz as atitudes medrosas e agressivas. Os cientistas esperam que a Cannabis possa dar um novo impulso ao sistema endocanabinoide.

Foto: Internet





Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top