quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A POETISA HELOÍSA PRAZERES LANÇA " casa onde habitamos"

Publicado por Roberto Leal As quinta-feira, 5 de janeiro de 2017  | Sem Comentarios

 
Heloísa Prazeres & sua habitação poética
No dia 12 de janeiro (quinta-feira), às 19 horas, A escritora Heloísa Prazeres lança o seu mais novo livro de poesia “casa onde habitamos” (assim mesmo tudo minúsculas), Scortecci Editora/SP - 132 páginas, R$ 30, no próximo dia 12/01 (quinta-feira), na Livraria Cultura (Av. Tancredo Neves, 2.915 – Piso 2, Caminho das Árvores, Salvador/BAHIA-Brasil) do Salvador Shopping. A obra reúne 82 novos poemas expostos em quatro fases. O espaço geográfico constitui o tema central da publicação, ilustrado com fotos do artista visual baiano Jamison Pedra, que, pela segunda vez, acompanha a autora, em livro. A palavra casa, em “casa onde habitamos”, possui um campo semântico que evoca, provoca e define-se como proteção externa e espaço interno de experiência.
As quatro fases que compõem o livro destinam-se metaforicamente à comunicação poética, organizada em casas: arte, sonho, sentimento e memória − defesa de princípios que constituem o discurso libertário da poesia. Habitante da metrópole, a poeta põe-se a falar, liricamente, em interlocução com o leitor, que se identificará com a procura incessante por abrigos humanos sob o teto da terra.
casa onde habitamos
Na primeira fase, são os trabalhos de bastidores, contendo uma reflexão sobre a arte da poesia. Um sucinto comentário poético sobre o preenchimento do vazio pelo signo, mediante privilegiada forma de comunicação, intencional, metalinguística, rítmica e sonora, quando o signo se enfeita. Na segunda fase, são as ante-salas de sonhos que toma lugar, explora a fértil relação entre o imaginário artístico e o sonho. São poemas expressos numa linguagem quase automática de ditado; dela sobressaem avanços por sen­das, nas quais o insólito traduz-se em cenas e relatos da vida onírica.
Dá-se, em seguida, um intervalo de leveza, suavidade e sensibilidade, por sob o teto da terra, onde prevalecem pequenas composições, curtas peças de louvor, dedicação e homenagem à vida, aos sentimentos e às relações. Encerra-se, mesmo por ali no mesmo chão, com textos de captura da memória − poesia de registro, tempo para buscar tempo, percepções e experiências pretéritas.
 
Heloísa Prazeres é baiana, natural de Itabuna/BA, possui textos publicados com produtores de Artes Visuais in Cinema e Fotografia. É verbete no Dicionário de Autores Baianos – Secult/BA - 2006 e no Dicionário de Escritores Contemporâneos da Bahia, CEPA/2015. Publicou, em livro, temas e teimas em narrativas baianas do Centro-Sul/FCJA-UNIFACS/Secult-2000; Pequena História, poemas selecionados. Salvador/Quarteto-2014; Antologia “Outros Riscos” do Prêmio Damário DaCruz de Poesia - Secult/BA e Quarteto/2013; Poetas da Bahia III, em Salvador, Expogeo/2015;  Antologia 5º Prêmio Literário de Poesia “Portal Amigos do Livro” Editora Scortecci/SP-2015; Medalha de Bronze do I Concurso Literário da AECALB, Rio de Janeiro/2016. É Bacharela e Mestre em Letras pela UFBA. Doutora em Literatura na University of Cincinnati, OH/EUA. Professora Adjunta, aposentada do Instituto de Letras da UFBA. Foi professora titular na Universidade Salvador, UNIFACS e já  coordenou o Núcleo de Referência Cultural da Fundação Cultural do Estado da Bahia. Informações: 71 9 8122-7231.

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top