quinta-feira, 14 de julho de 2016

MORRE CINEASTA HECTOR BABENCO DIRETOR DE "CARANDIRU"

Publicado por Roberto Leal As quinta-feira, 14 de julho de 2016  | Sem Comentarios


Hector Babenco deixa legado nacional histórico
Na noite da última quarta-feira (13/07), o cineasta argentino, naturalizado brasileiro, Hector Babenco, morreu vítima de uma parada cardíaca. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês desde o dia anterior, para onde foi levado para se submeter a uma  cirurgia. Segundo a produtora da  HB Filmes, Denise Winther, que confirma a informação, “ele estava bem, mas não resistiu a uma parada”, disse. Nascido em 1946, na Argentina, o cineasta  era  naturalizado brasileiro desde 1977, quando ganhou a cidadania. E foi por aqui que ele construiu a sua carreira no cinema nacional e internacional com a produção de filmes como: O Rei da Noite, que foi seu primeiro longa-metragem, Lúcio Flávio - O Passageiro da Agonia, Pixote - A Lei do Mais Fraco e O Beijo da Mulher-Aranha, além do campeão de bilheteria Carandiru, que conta a história do massacre que aconteceu na Casa de Detenção de São Paulo, quando 111 presos foram mortos pela Polícia em uma rebelião e que teve no elenco o ator Rodrigo Santoro. Sendo que seu último trabalho no cinema foi “Meu Amigo Hindu”, que foi lançado em março. O cineasta era casado com a atriz Bárbara Paz.
O diretor fez história também fora do Brasil. Com o filme “O Beijo Da Mulher-Aranha”, que teve Sonia Braga em papel principal; ele foi indicado ao Oscar de melhor diretor; que apesar de não ter levado a estatueta, o filme venceu um importante prêmio naquela noite: o de melhor ator para William Hurt. Em Cannes, ele concorreu também com outros seus filmes Carandiru e Coração Iluminado. Também levando estatuetas para casa. No Festival de Locarno, recebeu o Leopardo de Prata por “Pixote - A Lei Do Mais Fraco”, que conta a história de um menino de rua que, depois de sofrer num reformatório para delinquentes juvenis/FEBEM, ao sair se une a uma prostituta que na trama é vivida pela saudosa atriz Marília Pêra. Já na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Babenco arrebatou o prêmio do público por “Lúcio Flávio - O Passageiro Da Agonia”. Com Coração Iluminado, ele foi indicado à categoria de melhor diretor do Grande Prêmio Cinema Brasil.

O último filme de Babenco, foi Meu Amigo Hindu”, revela uma história muito familiar para quem acompanhava a vida do cineasta. Claramente autobiográfico, a trama conta a história de um diretor de cinema, Diego interpretado por ator americano Willem Dafoe, que luta contra um câncer linfático, assim como aconteceu com o diretor em 1990. Quando Diego é confrontado pela Morte interpretado pelo ator Selton Mello, ele fala sobre o seu desejo de fazer um último filme, cujo título faz referência a um menino indiano em fase terminal que ele conhece na América e o ajuda a enfrentar a doença de forma lúdica. O filme ainda aborda um relacionamento com Lívia, interpretado pela atriz Maria Fernanda Cândido, sua namorada, que vem a casar-se com ele depois de descobrir que o mesmo tem poucos meses de vidas. Juntos, eles se mudam para os EUA, onde ele passará a se tratar.
Foto: Divulgação (internet)

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top