quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PSOL cresce, desmente boato e é contra aumento de salário do Vereador

Publicado por Roberto Leal As quarta-feira, 31 de outubro de 2012  | Sem Comentarios

 
Vereador eleito Hilton Coelho & Roberto Leal
O Partido Socialismo e Liberdade cresceu muito nas últimas eleições, em relação ao pleito anterior, em 2008. Foram eleitos 49 vereadores e dois prefeitos, sendo um de uma grande capital Macapá (AP). O primeiro prefeito eleito pelo PSOL foi Gelsimar Gonzaga, eleito com 44,26% na cidade de Itaocara, município do Noroeste, do Rio de Janeiro. Ex-cortador de cana, Gelsimar tornou-se dirigente sindical nos anos 1980 e naquela década ajudou na fundação do PT, como também do PSOL, já em 2005. “O objetivo é se tornar exemplo do que o partido pode vir a fazer em outras cidades no futuro. Somos uma cidade pequena, mas é exatamente por isso que podemos nos tornar exemplo de gestão transparente e responsável para todo o país”, disse em entrevistas à imprensa. Foram eleitos vereadores pelo interior do Brasil e em importantes capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Salvador, Fortaleza, Natal, Maceió, Goiânia, Belém e Macapá.
Em Macapá, a disputa aconteceu entre Clécio Luís (PSOL), votado por 27,88% do eleitorado, e Roberto Góes (PDT), que conseguiu 40,16% dos votos, no primeiro turno. E no segundo turno vencendo Clécio com 50,59% (101.261 votos) contra 49,41% (98.892 votos) do adversário pedetista, considerada uma grande vitória do movimento socialista, implementado no país pelo partido caçula, que com apenas 7 anos mostra as suas novas caras e que não é atoa que já foi chamado de “fenômeno”.
Para o presidente nacional do PSOL, deputado Ivan Valente, o partido cresceu em relação ao processo municipal de 2008, saiu fortalecido e aos poucos se firma como uma alternativa de esquerda em todo o país. “Estamos satisfeitos com o resultado final do PSOL. Mesmo com 1 minuto na TV, chegamos em primeiro lugar na disputa em Belém, com Edmilson, e vencemos no segundo turno em Macapá, com Clécio, enfrentando um candidato subordinado à ficha suja” No Rio, Marcelo Freixo com uma campanha bonita apoiada pelos artistas, acabou por ajudar a eleger uma bancada igual a do PT na capital, com 4 vereadores. Sem falar que o PSOL agora é oposição em tempo real nas Câmaras das principais capitais e de cidades importantes como: Campinas (SP) e Niterói (RJ).
Em Salvador, o PSOL elegeu Hilton Coelho, com 16.408 votos, o segundo vereador mais votado, que já se encontra as voltas com uma polêmica e um possível ato de repúdio. É que os vereadores de Salvador resolveram aumentar seus vencimentos essa semana na calada da noite, em 44%, um aumento de aproximadamente R$ 5.000 e que a população considera abusivo... Ainda boatos rondam a legenda com a possível saída, no segundo semestre de 2013, da ex-senadora e hoje vereadora mais votada de Maceió, Heloisa Helena em uma possível junção com Marina Silva pela criação de uma nova legenda, já apelidada de Hezbollah (Partido de Deus, em árabe) por simpatizantes...
O vereador eleito por Salvador, Hilton Coelho, se manifestou sobre o assunto “Sou contra o aumento, Vereador é uma função pública não deve ser instrumento de enriquecimento de ninguém. Um Vereador não deve ter aumento maior que o menor reajuste dado a um servidor público Municipal”, falou tambem sobre o posicionamento do partido em relações a fatos como esse e como administrará o seu mandato solitário, “Tenho dito que podemos ser minoria na câmara, mas somos maioria nas ruas, quero ser o porta-voz das causas justas da cidade, dos 99% que são prejudicados com a privatização da cidade, com os desmandos e a corrupção. Nosso gabinete estará aberto aos movimentos sociais”. Quanto à debandada na legenda ponderou “Soube dessa história há alguns meses, depois a própria Heloísa Helena desmentiu, se ela fizer isso vai ser um retrocesso pra sua história e uma perda pra esquerda, já que o partido de Marina Silva será em sua essência conservador. Estamos aqui lutando pra fortalecer o PSOL”.
Militantes e ex-candidatos a vereador reclamam da postura das tendencias dentro da própria legenda e “que apesar de ter havido privilégios para alguns candidatos, alegam que quem construiu o primeiro mandato de vereador da história do PSOL em Salvador, foram às outras candidaturas, sem elas seria impossivel...”. Palavras de Bruno Santos, Robson Barreto e Jadson Dias.

Roberto Leal
Jornalista

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top