sábado, 6 de outubro de 2012

A historia do morador de rua eleito vereador em SP

Publicado por Roberto Leal As sábado, 6 de outubro de 2012  | Sem Comentarios

Otavio Rocha teve uma chance para poucos
Na campanha eleitoral de 2004, o morador de rua e catador de papelão, Otavio Rocha, 57, o Arruia, foi eleito vereador pelo PTN em Santa Barbara d’Oeste (138 km de São Paulo) com 1.675 votos – o terceiro mais votado da cidade, que tem 12 vagas na Câmara.
Arruia já tinha um projeto: “Quero criar uma cooperativa para os catadores, para eliminar atravessadores e melhorar o preço”, afirmou Arruia, que não teve doação de campanha.
Nascido em Americana, Arruia conta que foi incentivado pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Barbara d’Oeste, Sergio Camargo (PTB), a se candidatar. “Esperava me eleger, mas não tão bem votado.” Ele acredita que ter conquistado os votos ao “fazer campanha” – conversando com a população – enquanto recolhia papelão.

Arruia foi frentista de posto de gasolina, teve um comercio em Americana (SP), mas perdeu tudo: “Só não perdi a alegria de viver” e contou naquela ocasião que já estava morando na rua há exatos nove anos. “Meu filho teve leucemia e tive que vender tudo para pagar o tratamento. Fiquei cheio de dividas. Depois veio o divórcio e não tinha mais onde morar”, disse. O filho esta curado... Começou a catar papelão quando ficou desempregado. Disse que gostava da sua profissão.
Para concorrer a vereador, Arruia teve de informar uma residência fixa a justiça eleitoral e passou a morar no deposito do ferro velho para onde vendia o seu material recolhido.

Na rua, Arruia contava que dormia embaixo de uma marquise. Ele usa as instalações do Corpo de Bombeiros para tomar banho, local que chama de “Ape”. “Depois que tomar posse, pretendo morar em uma casa novamente.” Ele deve receber cerca de R$ 3.000 como vereador. E como catador, ele só conseguia no máximo R$ 300 ao mês.
O apelido de Arruia surgiu de seu hobby predileto: a leitura. “Descobri em um livro que ‘arruia’ em libanês significa ‘salve amigo’. Foi ai que resolvi adotar esse apelido, pois sempre que encontrava alguém cumprimentava dizendo ‘arruia’”, disse. Ele disse que não vendia os livros que encontrava no lixo, guardava onde dormia.

Essa façanha rendeu varias matérias de jornais, entrevistas e muitos comentários, inclusive uma boa matéria de destaque na Folha de São Paulo, de 15 de outubro, pagina A7, daquele mesmo ano.
Mesmo depois de eleito, Arruia continuou morando na rua. Continuou a atuar como catador de material reciclável, e foi assim mesmo depois de concluir o seu mandato de 2005 a 2008. Morreu na noite de quarta-feira, do dia  3 de agosto do ano de 2011, aos 63 anos. O ex-vereador desmaiou em frente a um bar em Nova Odessa, município vizinho a Santa Bárbara. Ele chegou a ser socorrido por uma ambulância e levado ao Hospital Municipal de Nova Odessa, mas não resistiu. A causa provável de sua morte é parada cardíaca, mas ainda não divulgada pelo IML.

Em meados de 2007 esteve desaparecido por duas ocasiões. Em uma delas foi localizado em Bauru, interior de São Paulo. Estava maltrapilho, de barba crescida e faminto, foi quando declarou não se lembrar que era um vereador e nem como chegou naquela cidade. Depois pedindo licença médica e se internando em uma clínica de repouso. Tentou a reeleição em 2009 obtendo somente 70 votos, insuficientes para assumir uma nova vaga na Câmara e retornou a sua rotina de catar papelão nas ruas da cidade.

 Roberto Leal
Jornalista
DRT 3992/BA

Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top