domingo, 29 de maio de 2011

Ronaldinho Gaúcho pisa na bola com garotos

Publicado por Roberto Leal As domingo, 29 de maio de 2011  | Sem Comentarios



Chegou a Salvador a maior estrela do espetáculo que farão Bahia e Flamengo, hoje as 16 horas, no Estádio professor Roberto Santos, o popular Estádio Metropolitano de Pituaçu, em Salvador, a atual casa do tricolor baiano, que está de volta à primeira divisão do futebol nacional, depois de sete anos, jogando novamente nos seus domínios, com o apoio da sua tão calorosa, fanática e numerosa torcida, Ronaldinho Gaúcho, que entre o seu grande número de seguidores, estão principalmente a garotada aficionada por bola, por futebol e que em Salvador não estão nada contentes com o astro, elas reclamam do abandono, da falta das atividades esportivas, depois do fechamento desde dezembro para férias do Instituto Ronaldinho Gaúcho e não mais retornando as atividades.
Em outubro de 2008, o governo da Bahia, por meio da Sedes-Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, assinou um convênio com o Instituto Ronaldinho Gaúcho e a Faepesul-Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Extensão da Universidade Unisul de Santa Catarina. Pelo acordo o governo liberaria mais R$ 2,3 milhões, para as obras do Instituto, que contemplariam os bairros de Castelo Branco, Mussurunga, Nordeste de Amaralina e Pernambués. Seriam cerca de 2 mil alunos de baixa renda assistidos pelo projeto, crianças de 10 a 17 anos. A ideia inicial do projeto era aliar a capacitação profissional ao esporte, o que é questionado pelos profissionais que trabalharam lá.
O projeto, porém, segundo os envolvidos nas atividades, funcionou de forma deficitária. “Os salários sempre atrasavam. Até hoje não pagaram o mês de novembro. Prometeram muita coisa, mais não cumpriram com nada, na verdade foi uma farsa”, afirma o morador da comunidade dos Pernambués Dely Santana, contratado para dar aulas para os meninos, recebendo pelo serviço, salário de R$ 700. “No início tudo foi festa, mais de 500 alunos matriculados... O Instituto prometeu computadores, palestras e monitores de cursos, mais não trouxe nada disso. Não teve essa coisa de capacitação profissional, era só colocar os meninos para jogar bola”, disse Aloísio Ribeiro, coordenador do Centro Social Urbano dos Pernambués.
O convênio assinado pelo governo com o Instituto Ronaldinho Gaúcho, com previsão de 15 meses de duração, com uma perspectiva de renovação. O governo repassou ao longo do tempo R$ 1,8 milhões para Instituto e a Faepesul, em quatro parcelas. Glauco Chalegre, coordenador do projeto “Jovens Baianos” da Sedes (Secretaria a qual o projeto é submetido), diz que o andamento da parceria está na fase de análise de contas. “Existem problemas técnicos na prestação. Estamos analisando para saber se o projeto continua ou não” diz Chalegre. Já Carlos Alberto, diretor da Faepesul, nega erros nos relatórios. “O projeto é um sucesso. Estamos na expectativa de renovar”, pondera.
E esse impasse já dura exatos 6 meses e nenhuma resposta para as comunidades envolvidas com o projeto e os garotos desmotivados e tristes como o Nicolas, 12 anos, que disse sonhar em ser jogador de futebol e poder abrir o seu Instituto, mas, afirmou ”Só que não vou abandonar os garotos que precisam”, é possível notar na fala do garoto o desapontamento com o astro, possuidor de grande fortuna, grande salário ( hoje, 1,5 milhão ao mês)... E que vem pisando na bola com a garotada, que espera muito mais dele e espera providências para a regularização da situação no Instituto Ronaldinho Gaúcho, de forma a não acordarem de um grande sonho centenas de garotos baianos bom de bola, já que o Estado é um celeiro de grandes e inesquecíveis craques... E os outros Centros no resto do país, como será que estão?


Arquivado Em :
Sobre o autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

0 comentários:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-
© 2013 Revista Òmnira. Traduzido Por: Template Para Blogspot. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9
Blogger template. Roberto Leal by Blogger.
back to top